Boteco do Beco: Ser independente? Devolva-me aos 7 anos!

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Ser independente? Devolva-me aos 7 anos!


Pois é... daqui uns dias estarei completando 26 anos. Foram 26 anos de muitas estradas e me lembro bem de quando era mais novo e bradava pelos quatro cantos a frase adolescente mais clichê que já ouvi na vida: "não vejo a hora de ser independente!" Mal sabia eu a bobagem que eu tava dizendo! Mas é aquela velha história... falar, até papagaio fala, mas quando a água bate na bunda, ai a gente sente o peso nas costas de realmente ser independente.
Não tou falando dessas pseudo-independências do filho que sai de casa e vai morar sozinho em outra cidade por causa da facul (sem alusões, ok?), mas continua a ser sustentado pelos pais! Nem daquela falsa idéia de que ser independente é, puro e simplesmente mandar no próprio nariz e sair de casa sem se preocupar com a hora de voltar e não ter que dar satisfação pra ninguém. Ser independente está muito, mas muito além disso! Tanto que eu só descobri isso esse ano!
2008 foi um ano de "conquistas" pra mim. Conquistei minha verdadeira independência, mas é aquela dura, crua e sórdida independência que não passa a mão na sua cabeça e nem te dá bjinho de boa noite antes de dormir! Nem aquela de quando vc largou a colherzinha de plástico e passou a comer de garfo, ou aprendeu a limpar a própria bunda! É a independência escarrada na sua cara cheirando à verdade e te mostrando da forma mais agressiva que se você não acordar todo dia as 07 da manhã e pegar um busão, vc não trabalha! E que se vc não trabalhar, você não come! E que se vc não comer, vc não terá forças suficientes pra pegar o busão no outro dia pra trabalhar! E sem trabalhar vc não tem dinheiro! E sem dinheiro vc não paga as contas: Facul, energia, água, aluguel, internet, impostos, farmácia, mercado, alimentação, gás, roupas, presente pra namorada, transporte, buteco, motel, móveis, manutenção da casa... O melhor de tudo é quando vc, final do mês soma as contas e descobre que por mais que você as enxugue, elas continuam maiores que seu salário. Maldito círculo vicioso que fielmente estupra meu orçamento todo mês!!!
É... tou morando por conta agora. Desde o começo do ano (2008) estou por conta própria. Metaforicamente, empurraram minha vaquinha e desde então tive que aprender a plantar. Uma ajuda aqui, outra ali, mas é apenas ajuda. Nada compromissado ou regido por contratos de patrocínio. Atualmente moro na Casa do Rock com mais 4 músicos, mas a coisa aqui não é fácil. A vida não é e nunca foi um mar de rosas pra quem tem que cavar com as próprias unhas as oportunidades e saber tirar leite de pedra. Sabe aqueles dias que vc tem que almoçar pipoca e jantar mingau de fubá pq não tem grana pra comprar o rango? Não sabe? Ah é, talvez vc não seja ainda independente. Não que ser independente esteja diretamente ligado a passar fome, mas pra quem não é favorecido por alguma gorda herança ou por pais que se sacrificam todo mês pra depositar aquele suado dinheiro na sua conta (e que vc enfia no cu gastando com amigos, festinhas, baladas e roupinhas de griffe pra ficar na moda), vc tem que se virar do jeito que der pra arrumar grana! Passar o dia no trampo, varar a noite fazendo bico de publicitário e fim de semana tirar uma grana de free tocando em algum lugar. As olheiras agradecem! Quando você perde todas as suas fontes externas de renda e precisa ralar pra ganhar dinheiro, ai sim meu amigo... esse é o primeiro passo pra sua independência. E se prepare pq qualquer soco bem aplicado na boca do estômago vira um singelo carinho quando se passa por essa transição.
Me lembro da minha festinha de 7 anos como se fosse a 19 anos atrás... (pausa, suspiro e olhar de quem não se lembra bem da festinha). Enfim, me lembro vagamente da minha festinha de 7 anos, mas lembro que tinha balão, brinquedinhos pros convidados, bolo, salgadinho, docinho, refrigerante, eu estava de terninho branco, tinha até a Xuxa cantando e dançando na festa (uma prima minha fantasiada, ok?) e super heróis em cartazes por todos os lados... Sabe o que é melhor de tudo? EU NÃO PRECISEI FAZER ABSOLUTAMENTE NADA para que tudo isso acontecesse. Ou melhor, a única coisa q eu tive que fazer era fazer aniversário! Só! Mais nada! Não gastei com nada, não perdi tempo organizando, não me desdobrei entre emprego, banco, e facul pra poder realizar a festa. Tava lá, tudo pronto... me esperando! Lembro-me de que nesses anos felizes, as únicas coisas que eu tinha que fazer (obrigações) era ir pra escola de manhã, fazer a tarefa a tarde e mais nada! Nada dessa bobagem de ser independente ou de "fugir de casa pq morar sozinho é melhor".
Confesso que no auge dos meus 15/16 anos pensei em fugir de casa, mas quem não pensou nisso um dia? Talvez se eu tivesse feito a fuga, teria descoberto com antecedência o quão é foda ser independente e teria voltado pra casa no dia seguinte como um cão de rabo entre as pernas. Hoje esse cão não pode mais voltar pra casa. Não se sabe ao certo se é por orgulho ou pq realmente chegou a hora de virar homem e viver por conta própria. Apenas sei que chegou a hora de parar de olhar o frango utopicamente rodar na padaria e se virar pra descolar algumas migalhas. A vida é muito mais bela quando se olha ai de cima sabendo que a única preocupação que você tem é se seu pai vai depositar o dinheiro na sua conta no fim do mês. A vida, daqui de baixo cheira a esgoto e tem gosto de realidade, mas é a forma mais gratificante de ser alguém na vida. É saber que por mais pouco que você tenha, é seu! Comprado ou conquistado com seu suor e sacrifício! Coisas assim dinheiro (dos outros) nenhum compra.

Ser alguém, não por hereditariedade, mas por merecimento. Independente, fudido e cheio de contas, porém feliz por poder sair sem hora pra voltar, mas saber que 22h preciso estar de volta pq a responsabilidade me chama ao trabalho no outro dia. A liberdade é o que nos prende!

Independência se conquista com suor e isso te impele à responsabilidade de saber administrar sua independência de forma ordenada, ou então tudo vira bagunça e vc volta a ser um simples mortal sustentado por alguém.



Que saudades da época que eu e meu amigo imaginário tinhamos tempo de ter tempo!


*************************************************************************************
(Aos que se doeram com o texto, encare como uma crítica construtiva de alguém que nem o pão que o diabo amassou comeu, pq não tinha pão, só o diabo rindo da situação.)

5 comentários:

Aline disse...

Bobrinhaaa... que bom que o boteco está de volta! Que saudadeee!

Poutz, algumas coisas ai foram um tapa na cara hein... nha...

Você é foda!

Amo-te!! =**

Daniela™ Rocha disse...

"Meu trabalho mais que forçado morrendo comigo na mão..."

TM

Fernando Anitelli nos entende querido. =)

paulinha disse...

caraca velho, é bem isso mesmu!!!

Maraiza disse...

Quanta inspiração não!!.. heheheheh as vezes é bom a ente voltar e relembrar o que já aconteceu... quem sabe assim ficam algumas brechas onde podemos voltar e tentar de novo.. hehehe
parabéns pelos escritos... contam muito de todos que lêem...
bjãooooo

Eder Cesar disse...

Caraca tava precisando ler isso
vc foi uma luz cara acredite.